domingo, 23 de Novembro de 2014

Incrível!

Passei o dia a trabalhar e quando fui ver as notícias, para me inteirar do que se passara, percebi que o que de mais relevante aconteceu este sábado foi:

- Sócrates passeou de carro nas ruas da capital...

sábado, 22 de Novembro de 2014

Coitado


Agora é que o Cavaco não lhe dá a medalha...

Limpeza de Outono

Já limparam o dourado dos vistos, o branco dos montes, as Lenas desta vida...

Parecem estar a disputar quem é que tem a casa mais suja mas, mesmo assim, que não lhes faltem vassouras!

sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

A Música Alegre do Norte vs A Música Triste do Sul


Roubei o título deste post a uma recensão ou trabalho baseado nas recolhas musicais do corso Michel Giacometti. Não sei bem onde me surgiu a oposição mas, nunca mais a esqueci.
Voltei a recordá-la quando assisti recentemente ao concerto da Celina da Piedade (com o Tim e os Corpo Estranho). Lembrei-me e pensei - Como isto parece errado.
A música tradicional com raízes Alentejanas e Algarvias não era menos alegre que a Chula, Cana-Verde, Vira ou Malhão do Norte.
Cresci rodeada de pessoas que com a 4ª classe ou menos eram músicos de excelência e tocavam cavaquinhos, violas, acordeões, concertinas e outros instrumentos com a mesma mestria que os músicos que estava ali em palco. A mesma mestria e a mesma alegria que os fazia viver a música criando ritmos e floreados que ainda hoje mexem connosco. 
Era assim no Norte e no Sul.
Não consigo deixar de pensar que há(com h) algo de errado no facto de um país que tem tamanha diversidade de ritmos e instrumentos (alegres) assumir como bandeiras da sua identidade a música mais triste e a guitarra que chora mais (e, nem sequer é a de Coimbra que chora com a afinação certa). Enfim, pelo menos o marketing traz prémios.



ps.  (Há uma diferença, sim com h outra vez) a Nortenha Viola Amarantina é mais bonita que a Viola Campaniça do Sul!

sexta-feira, 14 de Novembro de 2014

Andanças


Felizmente nasci em Portugal pelo que não preciso de visto. Nunca viajei muito e como me divido entre Coimbra e Amarante nunca fui a Vila Franca de Xira. Já fui a Lisboa e talvez volte mas, espero não ter que pernoitar por lá...

E, pronto! Foi isto que me ocorreu enquanto andei por aí, na rede.



terça-feira, 11 de Novembro de 2014

Invernias

Entra frio pelas minhas janelas velhas. Muito frio. É no que dá comprar um apartamento usado na esperança de o poder remodelar… nem tudo é mau! Mantenho a esperança e o apartamento numa agradável parceria com a Caixa Geral de Depósitos mas, o frio incomoda-me.
Arrepio-me quando sinto o frio envolver-me o pescoço penetrando as madeixas do meu cabelo como uma mão fria que procura conforto no calor alheio.

Ontem arrepiei-me! Estava a ler o novo livro do Mário de Carvalho quando, na página 62, o autor pede que reservemos o título: “Se numa noite de Inverno um viajante…”, arrepiei-me. Ao mesmo tempo, na TV, Simon e Garfunkel cantavam ‘A Hazy Shade of Winter’ e eu arrepiei-me. Não foi a música, a leitura ou mesmo a enorme coincidência de títulos que me eriçou o pêlo, foi o frio. Só o frio. 



sábado, 8 de Novembro de 2014

Notas de Leitura



O PAI NATAL, toda a gente o sabe, gosta de agradar. Mas também não gosta de desperdiçar presentes. Colocou dinheiro nos meus sapatinhos. Mas fizemos um acordo, ele e eu. Ou melhor, ditou-me ele as regras do jogo.

Apareceu em minha casa, depois de uma noite em que eu tinha jantado com amigos e tinha bebido bem. Falou-me assim: «Meu caro Nuno, este ano trabalhaste muito e quero-te recompensar. Mas como os matemáticos julgam que sabem tudo, vou-te oferecer uma lição de modéstia, com muito dinheiro à mistura.»


(...)

O dia de Natal passou, o Ano Novo entrou, e continuo sem saber o que fazer aos sapatinhos. Apanhou-me bem, o raio do velhote!

Nuno Crato in ‘O paradoxo dos sapatinhos’








ps Acho que o Nuno se perdeu a meio da 'lição'



sexta-feira, 7 de Novembro de 2014

dos Títulos


O novo romance do Gonçalo M. Tavares tem um título tão grande que me tira a vontade de o ler.

'Uma menina está perdida no seu século à procura do pai' - Depois de ler o resumo não me apetece ler o livro...